domingo, 17 de janeiro de 2010

Nada mais...

o sol fala-me de uma vida para além de todas as fantasias
fala-me de uma existência que não cabe nas palavras de todos os homens
convida-me a uma felicidade em que há lugar para todos os amores
oferece-me uma liberdade onde se encontram todas as felicidades
e eu aceito alarvemente a eternidade que brinca no infinito dos limites do meu silêncio

face a este mundo imenso
não há palavras breves que me ofereçam que valham a pena...
não há no desenho dos mais fantásticos sonhos e fantasias...
razões que me prendam à mais legítima das dores ou sufocante dos medos
não há certos nem errados... nem lugar às certezas e verdades de todos...

respiro a liberdade em todas as prisões
respiro o silêncio em todos os ruídos
respiro o amor em todos os desencantos
respiro a felicidade em todas as tristezas
respiro a vida para além da morte
respiro a eternidade para além de todos os momentos breves

respiro com a existência...

não sei que mais posso querer...